BEM VINDOS AO BLOG DO SÃO ROCK


Nossa História

Em junho de 2005, seis amigos se reuniram para comemorar seus aniversários, que por coincidência dos deuses do rock, eram todos na mesma semana. Resolveram chamar a banda de um amigo de Crato (Michel Macêdo, da Glory Fate). Também chamaram duas bandas locais (SKP e ET Heads), e fizeram a trilha sonora desta festa, que a princípio era exclusiva a aniversariantes e seus amigos. Sem querer, nascia ali o festival SÃO ROCK – o dia em que o rock foi pro brejo!
O sucesso da primeira edição obrigou uma continuação. Dois anos depois, já em 2007, veio a segunda edição, agora com a participação de bandas de Fortaleza, e aberto ao público. O sucesso consolidou o evento, e perpetuou essa data no calendário do rock cearense.
Pelo festival já passaram nomes de peso no cenário cearense, como Artur Menezes, Felipe Cazaux, Caco de Vidro, banda One, Killer Queen, Glory Fate, Zeppelin Blues, Renegados, banda Void e tantos outros que abrilhantaram noites inesquecíveis, regadas à amizade, alegria e o bom e velho rock´n´roll.
Hoje, o que se iniciou com um simples aniversário, tomou enormes proporções, estendendo seus ramos, diversificando os estilos e abrindo espaço para mais e mais bandas que querem mostrar seu talento em nossa terra. Agora são duas noites de festival, além da Caldeira do Rock, que leva bandas alternativas para a praça pública, numa celebração maravilhosa, onde congregamos amigos de todas as cidades circunvizinhas e de outros estados, irmanados pelo amor ao rock.
Não para por aí. Queremos tornar o São Rock uma marca que não promova apenas um festival anual, mas que seja um verdadeiro tablado que promova eventos de rock durante todo o ano! Assim, poderemos desfrutar do convívio saudável e também marcar nossa presença, dizer que temos voz e vez, numa cultura tão massificada por músicas desprezíveis e por gêneros impostos ao povo! Fomos, somos e sempre seremos roqueiros!
Portanto, venha participar dessa irmandade, apóie, divulgue, patrocine essa idéia, e seja mais um que ajuda a construir esse espaço!

Esse é o BLOG oficial do festival SÃO ROCK, que ocorre todo ano em Brejo Santo - Ceará. Criado "acidentalmente" por aniversariantes que comemoram na mesma semana e que se uniram para fazer uma única celebração voltada ao nosso gosto músical o ROCK. Além disso o blog divulga noticias e eventos nacionais e internacionais, além de ajudar na promoção cultural da região. Sobre tudo é uma apologia a amizade.




CARIRI VEÍCULOS

CARIRI VEÍCULOS

Impacto Skate Shop

Impacto Skate Shop
Uma loja diferenciada pra você

VÍDEOS



COBERTURAS

20/04/2010 - MEGADETH – Clube Português - Recife/PE (20/04/2010)

texto e fotos: Valmar Oliveira

Megadeth - 20-04-2010 - Rust In Peace 20th Anniversary Tour

Local: Clube Português do Recife
Data: 20 de Abril


Sai de salvador com alguns amigos rumo a linda cidade de Recife, capital de Pernambuco. Após chegarmos, fizemos a retirada dos ingressos e depois o turismo básico e a noite rumamos ao Clube Português do Recife, local que foi execrado nos fóruns e sites, mas pra mim, um ótimo local para eventos.

Com 1 hora de atraso, os portões se abrem e se inicia o evento com a abertura da banda local CRUOR, veterano da cena pernambucana. A banda apresentou um thrash metal porrada e rápido, mas o som estava muito embolado. O público gostou, havia gente pulando batendo cabeças e rodas. Tocaram alem de composições próprias um cover foderoso de “Escape to the Void” do Sepultura, e “Postmorten”, do Slayer. Particularmente achei a banda apenas razoável, mas a performance dela era muito boa e com bons músicos.

Era chegada a hora de conferir o MEGADETH, trazendo para o Brasil a tour de comemoração dos 20 anos de lançamento do ‘Rust in Peace’ (putz... to ficando velho!!).
Após ajustes no som, e uma curta intro (voz de Jello Biafra), surge o baterista Shawn Drover, logo sendo acompanhado por Dave Elfson e Chris Broderick, e quando entra Dave Mustaine, o local vem abaixo com gritos e a banda detona de cara “Skin O’ My Teeth”, com todos cantando o refrão. Na seqüência tocam a única do ‘So Far, so Good... so What” que é executada com mais freqüência, a clássica “In My Darkest Hour”, e via-se muita gente emocianada, e cantando e agitando. “She-Wolf” também é bem recebida, já com status de clássico, e cantada por todos, e essa musica é realmente espetacular! E que belo dueto!! Ao fim dela, musteine troca sua bela guitarra, com uma pintura de asas estilizadas por outra com uma pintura da capa do ‘Rust in Peace’, agradece o publico já enfia os riffs de “Holy Wars...The Punishment Due”, já começando a seqüência matadora do disco ‘Rust in Peace”, que literalmente fez o povo gritar, pular, empuirrar, cantar e tudo mais que fosse possivel. Incrível é a performance de Broderick, reproduzindo fielmente o que foi gravado por Marty Friedman, e arrisco dizer que ele tem mais pegada.
Tocam a fodastica “Hangar 18”, faixa com uma seqüência demolidora de solos, e em seguida a maravilhosa “Take no Prisioners”, que considero um dos pontos altos do disco homenageado em questão. Então chega a seqüência de musicas nunca tocadas, “Five Magics”, tocada de forma idêntica ao disco. Numa das parte da musica onde so Dave faz a mudança de uma passagem para outra ele para a musica! Ai pensei: “fudeu! Algo aconteceu, ele não, gostou, vai parar o show todo!!”, mas então ele se agacha na beira do palco, aponta pra alguem: “você está bem?”. Era uma moça, meio gordinha que no empurra empurra, somado ao calor escaldante do local dava sinais de que passava mal (fato que aconteceu com muita gente, ate do meu lado). O povo da segurança tira ela e encaminha para o lado, ai Mustaine recomeça o ponto exato onde parou!

“Poison Was The Cure” teve sua introdução caracteristica com o baixo estendida, e foi ótimo assistir, me remetendo ao tempo que sempre virava o disco (vinil , comprei na época que saiu! Hehehe) e a agulha caia já em cima do intro com o baixo. “Lucretia”, me remeteu ao show do Rock in Rio II (1991) e é outra de minhas favoritas, mas que muita gente ali, a meninada parecia nem saber que musica era
. Eis que veio a popular “Tornado of Souls”. Ai sim, as gurizada se animou! “Dawn Patrol” é executada só com a presença de Elfson e Drover, e a voz de Mustaine em playback. Então é a vez da faixa titulo do disco em questao, a ótima “Rust in Peace…Polaris”. Emocionante!! E perfeito! Nunca deveriam deixar de tocar esta musica! Esqueçam “Tornado of Souls”!

A banda saiu do palco, trocaram de intrumentos e voltam tocando outro arrasa quarteirão: “Trust”, com muita gente pulando e cantando. Do novo cd, o excelente ‘Endgame’, detonam a fodastica “Headcrusher” (com mustaine interagindo com o publico antes dela ser executada) e a cadenciada ”The Right To Go Insane”. Para o Clube Português desabar de vez, “Symphony Of Destruction”, que contou com o coro do público de “Megadeth, Megadeth, I Want Megadeth” acompanhando o riff da música.

Saem mais uma vez e voltam tocando a classica “Peace Sells”, para delírio da velha guarda. No final “Holy Wars”, em seu trecho final com Mustaine apresentando a banda. Ao final, mais agradecimentos, e jogam baquetas e palhetas e munhequeiras para o publico que disputava para pegar!


Grande show!! “Megadeth, Megadeth, I Want Megadeth!!!”

e-buddy - acesse MSN, FACEBOOK, GOOGLE TALK e outros