BEM VINDOS AO BLOG DO SÃO ROCK


Nossa História

Em junho de 2005, seis amigos se reuniram para comemorar seus aniversários, que por coincidência dos deuses do rock, eram todos na mesma semana. Resolveram chamar a banda de um amigo de Crato (Michel Macêdo, da Glory Fate). Também chamaram duas bandas locais (SKP e ET Heads), e fizeram a trilha sonora desta festa, que a princípio era exclusiva a aniversariantes e seus amigos. Sem querer, nascia ali o festival SÃO ROCK – o dia em que o rock foi pro brejo!
O sucesso da primeira edição obrigou uma continuação. Dois anos depois, já em 2007, veio a segunda edição, agora com a participação de bandas de Fortaleza, e aberto ao público. O sucesso consolidou o evento, e perpetuou essa data no calendário do rock cearense.
Pelo festival já passaram nomes de peso no cenário cearense, como Artur Menezes, Felipe Cazaux, Caco de Vidro, banda One, Killer Queen, Glory Fate, Zeppelin Blues, Renegados, banda Void e tantos outros que abrilhantaram noites inesquecíveis, regadas à amizade, alegria e o bom e velho rock´n´roll.
Hoje, o que se iniciou com um simples aniversário, tomou enormes proporções, estendendo seus ramos, diversificando os estilos e abrindo espaço para mais e mais bandas que querem mostrar seu talento em nossa terra. Agora são duas noites de festival, além da Caldeira do Rock, que leva bandas alternativas para a praça pública, numa celebração maravilhosa, onde congregamos amigos de todas as cidades circunvizinhas e de outros estados, irmanados pelo amor ao rock.
Não para por aí. Queremos tornar o São Rock uma marca que não promova apenas um festival anual, mas que seja um verdadeiro tablado que promova eventos de rock durante todo o ano! Assim, poderemos desfrutar do convívio saudável e também marcar nossa presença, dizer que temos voz e vez, numa cultura tão massificada por músicas desprezíveis e por gêneros impostos ao povo! Fomos, somos e sempre seremos roqueiros!
Portanto, venha participar dessa irmandade, apóie, divulgue, patrocine essa idéia, e seja mais um que ajuda a construir esse espaço!

Esse é o BLOG oficial do festival SÃO ROCK, que ocorre todo ano em Brejo Santo - Ceará. Criado "acidentalmente" por aniversariantes que comemoram na mesma semana e que se uniram para fazer uma única celebração voltada ao nosso gosto músical o ROCK. Além disso o blog divulga noticias e eventos nacionais e internacionais, além de ajudar na promoção cultural da região. Sobre tudo é uma apologia a amizade.




CARIRI VEÍCULOS

CARIRI VEÍCULOS

Impacto Skate Shop

Impacto Skate Shop
Uma loja diferenciada pra você

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

SUPER BANDAS

É COM GRANDE SATISFAÇÃO QUE FAÇO MINHA PRIMEIRA POSTAGEM NO BLOG TENDO DE CARA A OUSADIA DE CRIAR UM DEPARTAMENTO CHAMADO DE "SUPER BANDAS", QUE VAI TRATAR DE INFORMAÇÕES SOBRE BANDAS FANTÁSTICAS DO ROCK QUE MUITAS VEZES FICAM NUM UNDERGROUND QUASE ANONIMATO, MAS QUE NÃO DEIXAM DE TER SUA CONTRIBUIÇÃO NA HITÓRIA DO ROCK.

...VAMOS COMEÇANDO COM...


Para minha surpresa e confusão a banda é nova, o álbum de estréia “Black Bonzo” é de 2004, o que me fez acreditar um pouco na música dessa década, mas é claro que isso não fica mainstreem assim tão rápido.

Uma pesquisa rápida confirma algumas das minhas suposições, influências nos anos 70 e do 60. Básicamente do Hard Rock e do progressivo dessas décadas. Pronto, conciência limpa.

blackbonzo

(2004) Black Bonzo

Track list:
01. Lady of the Light
02. Brave Young Soldier
03. These are Days of Sorrow
04. New Day / Intermission
05. Fantasy World
06. Freedom
07. Sirens
08. Jailbait
09. Leave your Burdens
10. Where the River Meets the Sea

A Banda não é da Finlândia, em caso positivo teria que rever alguns conceitos e preconceitos com esse país, mas é sim da Suiça, que apesar de ser frio igual – ou mais, não tenho certeza, não tem aquela legião de pré e adolecentes que gostam de algo somente pelo país de origem.

Black Bonzo nesse álbum é composta por Magnus Lindgren nos vocais; Nicklas Åhlund no orgão, piano e mellotron; Joakim Karlsson na guitarra; Mikael Israelsson na bateria; E Patrick Leandersson no baixo. Mostram de cara do que são capazes em Lady of the Light com o uso do mellotron e das viradas de bateria livre. Abrindo parentêses, a bateria foi a coisa que menos gostei na produção de álbum, o som dos tons é abafado e os pratos tem pouco destaque apesar do baterista ter me surpreendido (excelente músico). A voz de Magnus na primeira vez que o álbum é ouvido impressiona o que é bom. Todas as músicas tem um plano de fundo sonoro mais sombrio, por causa dos arranjos feitos por Nicklas Âhlund, creio eu. Joakim Karlsson ganha um destaque para seus solos de guitarra em Brave Young Soldier, bem influênciado pelo som dos anos 70. O baixista Patrick Leandersson faz bem o trivial e tem alguns dos seus momentos espalhados ao longo das músicas, esse foi seu único álbum com o Black Bonzo, já que no segundo – Sound of the Apocalypse (2007) – Anthon Johansson é quem assume o baixo da banda.

Em resumo, recomendo ao menos escutar uma vez este álbum, a banda vem ganhando destaque apesar do grande tempo entre cada trabalho, mas quem sabe em um futuro tu possas dizer: “Black Bonzo? Claro que já ouvi…“.

Um comentário:

  1. Esse é o padre Judas... Vou começar a postar também... Só as podiiiii.kkkkkkk. Sapão

    ResponderExcluir

e-buddy - acesse MSN, FACEBOOK, GOOGLE TALK e outros